A ação chamada FNO Itinerante será realizada em quatro municípios de Rondônia: Mirante da Serra, Nova União, Vale do Paraíso e Vale do Anari 

Para levar informações de acesso ao Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO), o Banco da Amazônia (BASA) realizará nos próximos dias 27 e 28 de setembro, respectivamente nos municípios de Mirante da Serra e Nova União, em Rondônia, a ação FNO Itinerante de modo presencial, reunindo diversos representantes dos setores produtivos como sindicatos e associações de produtores rurais, Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (SUDAM), Empresa de Assistência e Extensão Rural (Emater) e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). 

O estado de Rondônia já foi alvo da ação do Banco. A primeira rodada da ação FNO Itinerante foi realizada pelo BASA no município de Primavera de Rondônia na última sexta-feira (17). O evento ocorreu de modo presencial na Câmara dos Vereadores e contou com a participação dos representantes dos municípios e de entidades parceiras como a Emater e Sebrae. 

O superintendente regional de Rondônia, Diego Campos, explica que o FNO Itinerante é uma ação estratégica para levar informações sobre o acesso ao crédito do Fundo por produtores rurais e empreendedores dos 52 municípios de Rondônia. De acordo com o superintendente, são eleitos municípios mais distantes e que apresentaram baixo nível de contratação nos últimos anos. “Damos a oportunidade dos mais diversos interessados a conhecerem as linhas de crédito disponibilizadas pelo FNO e estreitamos o contato com representantes dos mais diversos setores econômicos destes municípios aonde vamos”, informou.  

A superintendência informa que a próxima rodada acontecerá em Mirante da Serra, no Auditório da Prefeitura Municipal, a partir das 9h30. Nos demais municípios, as reuniões ocorrerão no Auditório da Câmara dos Vereadores, no horário de 09h30. As datas serão: em Nova União, no dia 28/09, Vale do Paraíso 29/09 e no Vale do Anari, no dia 08/10. 

História                           

O FNO Itinerante teve início com um projeto piloto em 2010. Os ganhos sociais obtidos com a realização do FNO Itinerante foram fundamentais na visibilidade institucional à ação de governo, no cumprimento de levar crédito de fomento a todos os municípios da Região e no alinhamento às diretrizes e prioridades da Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR).  

Enquanto administrador dos recursos, o Banco da Amazônia efetua operações que atendam prioritariamente aos segmentos produtivos de menor porte (mini/micro, pequenos e pequeno-médios empreendedores e microempreendedores individuais), agricultura de base familiar, empreendimentos que utilizem matérias-primas e mão de obra local e que produzam alimentos básicos para consumo da população e projetos sustentáveis, com vista à geração de trabalho e renda à população local. 

O FNO apresenta recursos oriundos da arrecadação do Imposto sobre a renda e proventos de qualquer natureza (IR) e do Imposto sobre produtos industrializados (IPI). É um instrumento financeiro substancial e tem o Banco da Amazônia como administrador dos recursos, guiado pelas diretrizes do MDR e da Sudam, colocam a Região Norte na rota do desenvolvimento, atendendo desse modo, ao objetivo principal da Política de Desenvolvimento do país, na redução da pobreza e das desigualdades regionais.
Serviço:Ação FNO Itinerante no municípios de Mirante da Serra
Data: 27 de setembroHorário: 9h30Local: Auditório da Prefeitura MunicipalEntrevistas: Superintendente Regional Diego Campos – (69) 9984-9997
Informações: 91-98568-7003

Você já ouviu falar do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO), do Banco da Amazônia, mas ainda tem dúvidas de como esse instrumento econômico-financeiro pode estimular as atividades econômicas desenvolvidas em bases sustentáveis na Região Norte? 

Esta é a oportunidade que você estava esperando para tirar todas as suas dúvidas. Conheça o projeto do Banco da Amazônia, o FNO Itinerante, um movimento criado pelo Basa que visa alcançar todas as possibilidades para divulgação dessa modalidade de crédito. 

É uma ação estratégica fundamental para o alcance dos 450 municípios da Região Norte. Nessa oportunidade, estão sendo elegíveis as áreas mais longínquas, ou onde não há unidades físicas do banco, ou que apresentaram baixo volume de contratação nos últimos anos, para a realização dessa ação.

Teremos um calendário itinerante bastante robusto até o fim deste semestre, contemplando os estados do Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. Neste mês, já temos a programação completa. Confira! 

AMAPÁ: 15/09, às 19h, presencialmente em Serra do Navio.

AMAPÁ: 16/09, às 19h, presencialmente em Pedra Branca do Amapari.

PARÁ: 17/09, às 10h, presencialmente em São João de Pirabas.

RONDÔNIA: 17/09, às 10h, presencialmente em Primavera de Rondônia.

AMAZONAS: 20/09, às 9h, on-line via YouTube. 

ACRE: 22/09, às 10h, on-line via YouTube. 

AMAPÁ: 22/09, às 10h, presencialmente em Ferreira Gomes.

AMAPÁ: 23/09, às 10h, presencialmente em Amapá 

RONDÔNIA : 27/09, às 9h, presencialmente em Mirante da Serra.

TOCANTINS: 28/09, às 10h, on-line via YouTube. 

RONDÔNIA: 28/09, às 9h, presencialmente em Nova União. 

RONDÔNIA: 29/09, às 9h, presencialmente em Vale do Paraíso. 

RONDÔNIA: 30/09, às 9h, presencialmente em Vale do Anari. 

Se não puder participar, compartilhe entre seus pares. Onde não for possível realizar esses encontros presencialmente, teremos a transmissão ao vivo em nosso canal no YouTube. Acompanhe toda a ação itinerante do FNO em nossos canais oficiais de comunicação e não perca nada! 

A oportunidade ideal para desenvolver uma Amazônia sustentável, com crédito e soluções eficazes, é só com o Basa, o Banco da Amazônia.


Estão abertas, até o dia 30 de setembro de 2021, as inscrições para os prêmios Professor Samuel Benchimol e Banco da Amazônia de Empreendedorismo Consciente, criados para o reconhecimento de projetos, instituições, empresas e personalidades que se destacam no desenvolvimento sustentável da região amazônica. As premiações contam com o apoio da Confederação Nacional da Indústria (CNI), do Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sebrae), entre outros.


Samuel Isaac Benchimol foi um grande pensador da Amazônia. Sua morte, em 2002, abriu um grande vazio na reflexão sobre a região. Essa ausência levou o então Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) a estimular a discussão sobre o espaço continental amazônico e, em 2003, idealizou o Prêmio Prof. Samuel Benchimol. Entre os objetivos principais dessa homenagem estava a pensar a Amazônia em variadas dimensões, estimulando a criação e a implementação de projetos para o desenvolvimento sustentável da região, visando ao aumento da produtividade das empresas, exploração de recursos naturais sem impacto ambiental e melhoria da qualidade de vida da sua população.

E assim, em 2004, com o apoio da Confederação Nacional da Indústria (CNI), da Ação Pró-Amazônia, do Sebrae e do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), o  Prêmio Professor Samuel Benchimol foi oficialmente instituído. O prêmio, por sua vez, busca reconhecer iniciativas e trajetórias pioneiras à compreensão da Amazônia e desvendar novos caminhos em prol do desenvolvimento sustentável da região. Além disso, está dividido em duas naturezas de premiação: uma para a identificação de projetos inovadores, contemplando três categorias nas áreas ambiental, econômico-tecnológica e social; e outra para reconhecimento de personalidades que contribuem para o desenvolvimento da região (categoria Personalidade Amazônica).

Enquanto isso, o Prêmio Banco da Amazônia de Empreendedorismo Consciente contempla três naturezas de premiação: a primeira busca a identificação de projetos com abordagem integrada, mas com o potencial de transformação da realidade socioeconômica; a segunda conta com as iniciativas de suporte ao desenvolvimento regional, tendo como compromisso estimular o desenvolvimento de projetos inovadores na Amazônia Legal; e a terceira reconhece empresas que contribuem para o desenvolvimento sustentável da região.

Podem se inscrever  pessoas de todas as ocupações, de qualquer parte do Brasil e do exterior, desde que estejam diretamente relacionadas com o desenvolvimento da região amazônica. Os prêmios Professor Samuel Benchimol e Banco da Amazônia de Empreendedorismo Consciente recebem apoio da Confederação Nacional da Indústria (CNI), das Federações de Indústrias da Região Amazônica e do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), por meio do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT).

Ainda na oportunidade, este ano serão homenageados: 

Fique atento(a) às datas e se inscreva! As inscrições terminarão no dia 30 de setembro de 2021; e o julgamento ocorrerá em 26 de novembro, com outorga a ser realizada em 17 de dezembro deste ano. Confira mais informações no site:  http://amazonia.ibict.br/

No dia 26 de agosto, o presidente do Banco da Amazônia Valdecir Tose, vai participar do evento “Palestra a investidores: As oportunidades de crédito com recursos do FNO” no Estado do Tocantins. O evento vai ser realizada na Sede da ACIARA- Associação Comercial de Araguaína – TO, às 20 horas.

O presidente do Banco da Amazônia, Valdecir Tose, fará a condução da palestra com o empresariado de Araguaína que vai anunciar as oportunidades de crédito com o Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO), cuja previsão de aplicação em Tocantins é de R$ 1,9 bi para 2021.

Segundo o superintendente do Banco da Amazônia no Tocantins, Marivaldo Melo, a expectativa para este ano é superar o ano passado. “Em 2020, grande parte dos recursos foi aplicada nos setores de agropecuária e agricultura familiar, o que gerou mais de 253 mil empregos diretos e indiretos. Estamos fechando o mês de agosto com R$ 1,9 bilhão aplicado, que representa um crescimento de 58% em relação a 2020.  Para este ano, nossa expectativa é que o montante aplicado chegue a mais R$ 3 bilhões”, afirmou.

Valdecir Tose fará uma série de visitas no estado do Tocantins a clientes e participará de reuniões com colaboradores de agências do Basa juntamente com o superintendente regional Marivaldo Melo.

FNO

O BASA disponibiliza aos setores produtivos do Estado do Tocantins, recursos financeiros de até R$ 2,5 bilhões, sendo R$ 1,9 bilhão do FNO, para aplicação em operações que se enquadrem nos programas de financiamento operacionalizados pelo BASA, em conformidade com o Plano Estadual de Aplicação dos Recursos Financeiros 2021. Neste ano, a mudança trazida no Plano foram as linhas de crédito voltadas para a sustentabilidade – o FNO Amazônia Rural Verde e Amazônia Empresarial Verde – cujos objetivos são estimular e diferenciar a finalidade de crédito para fomentar a economia e, ao mesmo tempo, reforçar o compromisso socioambiental da região.

Os dados têm como base o primeiro semestre de 2021 e as contratações referem-se a recursos de crédito de fomento – FNO e outras fontes 

A região Amazônica recebeu em contratações com recursos de crédito de fomento pelo Banco da Amazônia (BASA) o valor de R$ 5,29 bilhões somente no 1º semestre de 2021, um crescimento de 16,1% em relação ao mesmo período de 2020, que foi de R$ 4,56 bilhões.  

De acordo com o presidente do BASA, Valdecir Tose, os financiamentos concedidos, contemplaram empreendimentos de diferentes portes, segmentos e setores, promovendo assim a redução das desigualdades intra e inter-regionais na região. “A expansão do crédito está relacionada principalmente ao setor rural que demandou R$ 3,6 bilhões, 97% de crescimento em relação a 2020”, explicou.  

O resultado financeiro do primeiro semestre também registrou o lucro líquido de R$ 302,6 milhões, um crescimento de 177% em relação ao mesmo período de 2020. Já o Patrimônio Líquido foi de R$ 2,7 bilhões, apresentando uma elevação de 17,5% em relação ao mesmo período de 2020, cujo valor foi R$ 2,3 bi. O valor patrimonial do BASA, que é o valor do Patrimônio líquido dividido pela quantidade de ações, encerrou o 1º semestre no valor de R$ 91,85, contra R$ 78,1 milhões do 1º semestre de 2020, quando foi contratado R$ 1,86 bilhão.  

Recursos do FNO 

Dos R$ 8,63 bilhões de recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO) destinados para a região Norte, R$ 4,93 bilhões já foram aplicados, o que representa mais de 57% do valor destinado. “Em comparação ao mesmo período do ano anterior, as operações contratadas do FNO aumentaram em 13,85%”, revelou o presidente Valdecir. Para linhas do FNO Verde, que incentiva projetos sustentáveis na região, o Banco financiou R$ 1,65 bilhão, o que representa 33,5% das operações contratadas do FNO. 

Das aplicações realizadas no 1º semestre, os empreendimentos do setor rural demandaram R$ 3,67 bilhões (74%) e os empreendimentos dos demais setores R$ 1,26 bilhão (26%) do valor contratado. Outro ponto importante é que os financiamentos contemplaram empreendimentos de diferentes portes, segmentos e setores. “Foram priorizados os de menor porte – mini, pequeno e pequeno – médio, totalizando R$ 3 bilhões em observância as diretrizes do FNO que orientam foco nos pequenos”, comentou o presidente. 

Programa Amazônia Florescer Urbano 

No primeiro semestre, o Banco da Amazônia atendeu 29.262 empreendedores populares, aplicando o montante de R$ 101 milhões, um aumento de 170% em relação ao mesmo período de 2020, ocasião em que foi aplicado o valor de R$ 37,35 milhões. “Este aumento foi devido a melhorias e simplificações na concessão do crédito, bem como devido a abertura de dez novas Unidades de Microfinanças no final de 2020”, disse Valdecir. 

Recuperação de Crédito 

Valdecir Tose informou que o Banco alcançou o volume recuperado de R$ 70,07 milhões, crescimento de 47,89%, em relação ao período de 2020, que foi de R$ 47,38 milhões. “O destaque foi na recuperação da carteira do FNO que alcançou R$ 42,3 milhões, elevação de 62% quando comparado com o mesmo período do ano anterior que registrou R$ 26,2 milhões”, informou. 

O documento completo com as demonstrações financeiras do semestre encontra-se em https://www.bancoamazonia.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=657:central-resultados&catid=121

Você sabe a real importância dos editais de patrocínio? Eles podem ser cruciais para transformar o seu projeto em realidade e fazem parte de uma das etapas cruciais para o sucesso. Para conseguir os recursos financeiros necessários, os editais de patrocínio são muito utilizados.

Esses recursos podem ser obtidos por empresas e organizações de diversos setores, que buscam apoiar segmentos culturais, sustentáveis, entre outros. Para os empreendimentos, esse apoio significa uma Responsabilidade Social Corporativa (CSR) elevada. Para os que se inscrevem, mais uma oportunidade para financiar o projeto.

Para participar dos editais abertos no Banco da Amazônia, é preciso se inscrever e apresentar projetos que favoreçam a sustentabilidade da região amazônica em suas áreas de atuação, seja no esporte ou na cultura. O candidato a ser patrocinado pelo Basa deve observar os critérios dispostos nos editais, disponíveis no site institucional do banco.

São três editais públicos que estão abertos para inscrição:

*Chamada Pública da Lei de Incentivo à Cultura 2022;

* Prêmio Banco da Amazônia de Artes Visuais;

* Edital de Patrocínios 2022.

O Basa, por meio dos editais, destina o valor de aproximadamente R$ 2,8 milhões, sendo R$ 2 milhões para patrocínios e R$ 777 mil para a chamada pública da Lei de Incentivo à Cultura. Os segmentos contemplados no Edital de Chamada Pública serão: artes cênicas (teatro, dança, circo, ópera, mímica e congêneres), realização de exposições, festivais de arte e espetáculos de artes cênicas ou congêneres e cinema (produção cinematográfica).

No ano passado, foram inscritos 477 projetos, sendo que 97 foram habilitados, de acordo com os critérios estabelecidos no edital e na avaliação feita pela equipe de técnicos da Coordenadoria de Patrocínio, Promoção e Gestão da Marca (COPMA) do Basa. 

Pessoas físicas e jurídicas podem participar. A pessoa física deve ser brasileira nata ou naturalizada, maior de idade, legalmente documentada, com endereço fixo e residente na área de atuação do Banco da Amazônia – que é em toda a Amazônia Legal. Já o proponente pessoa jurídica deve ser com ou sem fins lucrativos legalmente documentados, e o projeto a ser realizado deve ocorrer na região amazônica.

Os editais já estão disponíveis no site: www.bancoamazonia.com.br. Acesse o menu “O Banco”. A divulgação do resultado dos projetos pré-selecionados será pelo site. Cada proponente selecionado no edital receberá, via e-mail, a carta de aprovação que será enviada para o endereço eletrônico informado na folha de rosto do projeto inscrito.

Inscrições abertas para os Editais Públicos de Patrocínios do Banco da Amazônia!

Período de inscrições: de 10 de agosto a 30 de setembro de 2021. As inscrições são gratuitas e serão feitas por via eletrônica, EXCLUSIVAMENTE para o seguinte e-mail: edital.patrocinios@bancoamazonia.com.br.

As reuniões esclarecerão sobre o acesso ao FNO e serão on-line transmitidas pelo Youtube 

Nesta quarta-feira, 18/08, o Banco da Amazônia (Basa) irá promover o Webinar sobre o FNO Itinerante no estado de Roraima. O evento vai esclarecer como obter financiamento com o Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO) que dispõe das taxas de juros mais atrativas do mercado e prazos maiores de pagamento. 


A ação FNO Itinerante objetiva oferecer facilidades de operacionalização de propostas por meios digitais e realizar Renegociação e liquidação de dívidas do FNO que é o principal instrumento econômico-financeiro para o estímulo das atividades econômicas em bases sustentáveis na região Norte. 

De acordo com o superintendente regional do Amazonas e Roraima, Esmar Prado, o Basa e o FNO estão presentes em todos os 450 municípios da região Norte e respondem por 64% do crédito de fomento da região, priorizando o atendimento aos pequenos portes e com destaque aos financiamentos de longo prazo. 

O superintendente informa que a ação não foi realizada em 2020 em função da pandemia da Covid-19, que gerou grave crise econômica no país. “Os recursos do FNO serviram para muitos empreendedores, possibilitando a realização de negócios, gerando emprego e renda, em conformidade à sua missão institucional de desenvolver uma Amazônia Sustentável com crédito e soluções eficazes”, comentou.   

Origem 

O FNO Itinerante teve início com projeto piloto em 2010. Os ganhos sociais obtidos com a realização do FNO Itinerante foram fundamentais na visibilidade institucional à ação de governo, no cumprimento de levar crédito de fomento a todos os municípios da Região e no alinhamento às diretrizes e prioridades da Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR).  

Enquanto administrador dos recursos, o Banco da Amazônia efetua operações que atendam prioritariamente aos segmentos produtivos de menor porte (mini/micro, pequenos e pequeno-médios empreendedores e microempreendedores individuais); agricultura de base familiar; empreendimentos que utilizem matérias-primas e mão de obra local e que produzam alimentos básicos para consumo da população e projetos sustentáveis, com vista à geração de trabalho e renda à população local. 

O FNO apresenta recursos oriundos da arrecadação do Imposto sobre a renda e proventos de qualquer natureza (IR) e do Imposto sobre produtos industrializados (IPI). É um instrumento financeiro substancial e tem o Banco da Amazônia como administrador dos recursos, guiado pelas diretrizes do MDR e da Sudam, colocam a Região Norte na rota do desenvolvimento, atendendo desse modo, ao objetivo principal da Política de Desenvolvimento do país, na redução da pobreza e das desigualdades regionais. 

O evento contará com a participação da Superintendência regional do Basa, SEBRAE, Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e outros parceiros como empresas de assistências técnicas. 

Perguntas poderão ser enviadas via chat on-line ao vivo para os participantes da live.

As ações serão on-line, transmitidas pelo Youtube – https://youtu.be/e0a3mKXbESA

As inscrições devem ocorrer por e-mail de 10 de agosto a 30 de setembro de 2021 

O Banco da Amazônia (Basa) abriu na terça-feira, dia 10, as inscrições para três editais públicos de seleção de projetos para 2021. Os Editais são: de Chamada Pública Lei de Incentivo à Cultura 2022 e o Edital de Patrocínios 2022. As inscrições serão exclusivamente por e-mail e prosseguem até o dia 30 de setembro. 

Por meio dos editais, o Banco destina o valor de R$ 2,80 milhões, sendo R$ 2 milhões para Patrocínios e R$ 777 mil para a Chamada Pública da Lei de Incentivo à Cultura. Os segmentos contemplados no Edital de Chamada Pública serão: Artes Cênicas (teatro, dança, circo, ópera, mímica e congêneres), realização de exposições, festivais de arte e espetáculos de artes cênicas ou congêneres e Cinema (Produção Cinematográfica). 

No ano passado, foram inscritos 477 projetos, sendo que 97 foram habilitados, de acordo com os critérios estabelecidos no edital e na avaliação feita pela equipe de técnicos da Coordenadoria de Patrocínio, Promoção e Gestão da Marca (COPMA) do Basa.  

“Os projetos inscritos devem apresentar uma vertente que favoreça a sustentabilidade da região Amazônica em suas áreas de atuação, seja no esporte ou na cultura. O candidato a ser patrocinado pelo Banco deve observar os critérios dispostos nos Editais, disponíveis no site institucional do Banco”, enfatizou o secretário executivo do Basa, Alcir Erse. 

De acordo com a Coordenação de Patrocínios e Gestão da Marca do BASA, podem se inscrever pessoas físicas e jurídicas. A Pessoa Física deve ser brasileiro nato ou naturalizado, maior de idade, legalmente documentada, com endereço fixo, residente na área de atuação do Banco da Amazônia que é em toda a Amazônia Legal. Já o proponente Pessoa Jurídica deve ser com ou sem fins lucrativos legalmente documentados e o projeto a ser realizado deve ocorrer na região Amazônica. 

Os editais estarão disponíveis a partir de 10 de agosto no site do Basa: www.bancoamazonia.com.br. Acesse o menu “O Banco”. A divulgação do resultado dos projetos pré-selecionados será através do site. Cada proponente selecionado no Edital receberá via e-mail a carta de aprovação que será enviada para o endereço eletrônico informado na folha de rosto do projeto inscrito. 

Serviço: Inscrições abertas para os Editais Públicos de patrocínios do Banco da Amazônia

Período de inscrições: de 10/08/2021 a 30/09/2021. 

Para se inscrever ao “Edital de Seleção Pública de Patrocínios 2022” e “Edital de Chamada Pública Lei de Incentivo à Cultura 2022”, os interessados devem enviar seus projetos exclusivamente para os e mails: 

edital.patrocinios@bancoamazonia.com.br e lei.incentivocultura@bancoamazonia.com.br

Agricultores familiares, produtores rurais e empresas que atuam no setor podem solicitar o crédito para favorecer a comercialização da produção

A ausência de infraestrutura suficiente no agronegócio, o desperdício de alimentos e a logística demandam do produtor um esforço maior e um bom planejamento de armazenagem para não prejudicar a comercialização da própria produção. 

De acordo com dados extraídos do site da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Brasil é um dos países com menor capacidade de armazenagem de grãos, em comparação com outros países. De acordo com o IBGE, o armazenamento agrícola no Brasil foi de 176,3 milhões de toneladas no segundo semestre de 2020, o que representa uma redução de 0,1% em relação ao semestre anterior, contendo apenas 7.900 armazéns convencionais e silos para toda produção, o que corresponde a 14% da capacidade de armazenamento de grãos nacional. 

Tendo em vista essa demanda, o Banco da Amazônia (Basa) disponibiliza recursos comerciais e linhas de crédito por meio do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO),  pelo seu Plano Safra 2021/2022 cujo valor oferecido é de R$ 7 bilhões, destinado para o agronegócio da Amazônia, sendo que R$ 4 bi é voltado para minis, pequenos produtores e para agricultores familiares. 

Dentre os projetos a serem financiados, encontram-se para transportes e armazéns que se enquadram nos setores prioritários destacados pelo Conselho Deliberativo (Condel) da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (SUDAM). Os outros setores prioritários são agricultura familiar, agropecuária, pesca e aquicultura. 

Especificamente para a construção e ampliação de armazéns, o Basa oferece linhas de crédito tanto para o setor rural. Há o FNO Amazônia Empresarial permite projetos de armazenagem para o setor não rural, como por exemplo, cerealistas. Também há o FNO Amazônia Rural que favorece projetos que objetivam a ampliação, modernização, reforma e construção de novos armazéns dentro da atividade rural e o PRONAF Agroindústria, para atividades que necessitam de armazenagem da produção agropecuária de produtores beneficiários do PRONAF.

Uma das vantagens de se contratar uma operação para investir em armazenagens na região Norte, é a isenção de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e prazos de até 15 anos, incluindo a carência de até seis anos, para projetos de armazenagem com juros de 5,17% ao ano. 

De acordo com o superintendente do Estado de Rondônia, Diego Campos, o Estado de tem a grande possibilidade de produção e escoamento de grãos, e a necessidade de armazenamento na localidade é de extrema importância. “Em 2021, destacamos a possibilidade do Estado se tornar um grande corredor de exportação, estando propício aos investimentos em portos, transportes, logística, armazéns e toda a cadeia relacionado ao escoamento da produção”, afirmou. 

Para o superintendente regional do Pará I, Edmar Bernaldino, o Banco da Amazônia tem apoiado bastante com financiamentos voltados para armazenagem. “Estamos em uma região que produz muito grão. Com o maior nível de produtividade e adoção de novas tecnologias, que tem aumentado ano a ano, amplia também a necessidade de melhorar a infraestrutura de armazenagem nas propriedades rurais, conforme a necessidade de cada empreendimento”, comentou.

Bernaldino acrescenta que o Banco está atento a este movimento e, a cada Plano Safra, o Basa tem disponibilizado um maior volume de recursos para esta finalidade. Além do prazo do financiamento, para este plano safra, as taxas de juros estão bem atrativas”, informou.

Para saber mais sobre as linhas que contemplam construção e ampliação de armazéns na região Norte acesse: https://www.bancoamazonia.com.br/index.php/produtos-servicos/empresa/financiamentos 

O Plano de Aplicação de Recursos do Fundo Constitucional do Norte para 2021 encontra-se em https://www.bancoamazonia.com.br/index.php/component/edocman/plano-aplicacao-recursos-financeiros-fno-2021/viewdocument/3693?Itemid=0

A ciência e a tecnologia são grandes motores para o desenvolvimento em diversos setores, inclusive do agronegócio. À medida que a agricultura e pecuária foram se desenvolvendo a necessidade de novas tecnologias foram surgindo, de modo que a utilização delas se tornaram indispensáveis. Além de proporcionar uma maior eficácia em todo o processo do plantio aumentando o nível de produtividade, qualidade e retorno econômico, gera a diminuição dos impactos ambientais.
Diante dos desafios apresentados pela Região Amazônica além da necessidade de suplementar a carência, o Banco da Amazônia (Basa) disponibiliza linhas de crédito voltadas para a inovação, tecnologia e pesquisa na busca por alternativas para a biodiversidade amazônica. De acordo com o superintendente regional de Rondônia, Diego Campos, não há como apresentar soluções para o fomento de atividades econômicas sustentáveis na região sem incentivar e financiar o uso de tecnologias.  
O superintendente informa que os recursos do FNO devem estar voltados ao financiamento dos setores produtivos da indústria, agroindústria, agropecuária, mineral, turismo, comércio e prestação de serviços, inovação, tecnologia e produtos essenciais da biodiversidade, seguidos pelo apoio à infraestrutura econômica da região, com projetos voltados à logística, saneamento, água e esgoto.
De acordo com o Plano de Aplicação de Recursos do BASA para 2021, disponível no site da Instituição, há a linha de crédito FNO Amazônia Rural que oferece financiamento para projetos que objetivam implantar objetos de difusão tecnológica, automação na avicultura, suinocultura e bovinocultura de leite. “Projetos de irrigação e drenagem agrícolas componentes da agricultura de precisão, equipamentos, máquinas e demais tecnologias e métodos de produção que dinamizam e modernizam a produção que incorporem tecnologias mitigadoras de impactos ambientais, entre outros”, afirma o documento.
Ainda segundo o Plano de Aplicação, dentro dos programas FNO Pronaf, FNO Amazônia Rural, FNO Amazônia Empresarial e FNO Infra, há as linhas verdes a exemplo do FNO Empresarial, Ciência, Tecnologia e Inovação – FNO C,T&I. Esta linha financia atividades para o setor da agroindústria, indústria, turismo e comércio e oferece apoio a desenvolvimento tecnológico, aprimoramento de produtos, desenvolvimento de novos serviços entre outros.
O prazo para investimento em empreendimento de Ciência, Tecnologia & Inovação é de até 15 anos, incluindo o período de carência de até 5 anos, podendo ser elevado a até 20 anos no caso de empreendimentos considerados de alta relevância, desde que devidamente justificado no projeto.
Os interessados em adquirir os recursos anunciados podem acessar o aplicativo simulador do FNO que permite que os usuários simulem suas necessidades de crédito. O aplicativo está disponível nos sistemas iOS e Android para celulares, tabletes e desktop. Também podem se dirigir a uma das agências do Banco da Amazônia ou acessar o site www.bancoamazonia.com.br para mais informações sobre como obter financiamento com os recursos da instituição.



POSTS RELACIONADOS